Notícias

Projeto estimula criatividade e Pensamento crítico na Sala de aula

07 de Junho de 2016


Projeto estimula criatividade e pensamento crítico na sala de aula

Iniciativa da FIESC em parceria com o Instituto Ayrton Senna e com as secretarias de educação do Estado e do município de Chapecó integra estudo conduzido pela OCDE

Projeto Inovação na Educação reuniu profissionais das redes municipal e estadual de educação, Senai e Instituto Ayrton Senna em Chapecó (Foto: MB Comunicação)

 

Chapecó, 6.6.2016 – Formar crianças e jovens para atuar com autonomia diante dos desafios do século 21 é o objetivo do projeto "Inovação na Educação: avaliando habilidades de Criatividade e Pensamento Crítico". A iniciativa é resultado de uma parceria firmada entre a Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), por meio do Movimento Santa Catarina pela Educação, o Instituto Ayrton Senna, as secretarias de Estado da Educação e do município de Chapecó.

Na sexta-feira (3), foi realizado um encontro com os professores das redes públicas municipais e estaduais e do SENAI que estão participando do projeto, juntamente com os consultores do Instituto Ayrton Senna. O objetivo foi fazer uma avaliação das ações já realizadas e das percepções dos participantes.

O projeto iniciou em 2015 com capacitações para professores e neste ano está sendo implementado nas escolas. A intenção é apoiar os docentes e as redes de ensino no desenvolvimento intencional e estruturado das competências de criatividade e pensamento. A especialista de ensino do Movimento Santa Catarina pela Educação, Osnilda Leite, frisa que o mundo do trabalho requer, atualmente, não apenas conhecimentos técnicos, mas também essas habilidades. “Pesquisas apontam que existe uma lacuna entre a escola e o mundo do trabalho e é com base nessa pesquisa que desenvolvemos projetos como esse”, comenta.

O consultor do Instituto Ayrton Senna, Cesar Amaral Nunes, explica que o projeto é piloto ainda e, além do Brasil, participam outros 15 países participantes da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). “As profissões que não usam criatividade e pensamento crítico tendem a desaparecer, porém mais importante do que o foco econômico é pensar o projeto como um modelo de sociedade que está se reestruturando”, enfatiza.

Na rede municipal de educação integram essa primeira fase do projeto 17 escolas, 35 profissionais e cerca de 1,6 mil alunos. “A equipe está motivada com o programa, que provoca a interação da escola com a comunidade, que é essencial para realmente promover a educação”, destaca o secretário de Educação de Chapecó, Nemésio Carlos da Silva. O projeto está sendo socializado nas demais escolas e a meta é desenvolver em toda a rede municipal de ensino.

Essa também é a intenção da Gerência Regional de Educação (Gered) em relação às escolas estaduais. A supervisora de gestão de rede da Gered, Marlise Gottardi Vicenzi, relata que o projeto envolve nove escolas, 60 professores e 1,1 mil estudantes. “Já é possível perceber melhorias na aprendizagem e na forma de ensinar. Ainda neste ano pretendemos disseminar o programa nas demais escolas da rede estadual de Chapecó”, expõe.

 

Para o gerente técnico de Educação e Tecnologia do SENAI Chapecó, entidade vinculada à FIESC, e coordenador regional do Movimento SC pela Educação, Almeri Dedonatto, o grande desafio é mudar a cultura tradicional do ensino. “É preciso dar significado ao que é ensinado. Muitas vezes, na educação tradicional, os alunos não encontram significado e acabam não se apropriando do conhecimento”, afirma. Integram o projeto no SENAI 13 professores, quatro coordenadores e cerca de 140 alunos. 


Fonte: Fiesc


Voltar


Empresas Colaboradoras

Xthor Soluções Tecnológicas Sesi - Serviço Social da Indústria